Pilotagem na chuva, MESMO QUE CHOVA!

Matéria da revista MOTO! Ano XVII - n. 198 - junho 2011
Por Kleber Tinoco

Medo! É o que se sentem muitos motociclistas quando têm que pilotar na chuva...

Quem mora na "terra da garoa" está mais acostumado, já quem mora no Norte ou Nordeste, nem tanto. Mas, em ambos os caso, é importante que o motociclista se informe sobre o que fazer para andar com segurança na chuva - mesmo porque nos CFCs (antigas moto-escolas), dias de chuva significam simplesmente adiamento de aulas...

A maioria de nós sabe o que fazer quando o tempo está seco: inclinar a moto, utilizar o corpo nas curvas, nas frenagens, nas acelerações, etc. Tudo acontece de forma "automática", mas quando começa a chover a coisa complica, parece que a água apaga o que aprendemos durante anos em cima da moto, e surge então o medo!

Ele faz com que você esqueça as técnicas que se usam para pilotar na chuva: são exatamente as mesmas para pilotar no seco. Nesse momento, você deve se lembrar de uma regra fundamental: relaxar!

Pilotar tenso vai sempre atrapalhar, pois a tensão reduz a sua concentração e prejudica outra regra que é ainda mais importante na chuva: motos têm que ser conduzidas com suavidade! Esqueça o medo e pare de imaginar que basta olhar os pingos para a moto escorregar...

Suba na moto, adote uma postura que lhe dê liberdade de movimentos e que permita controlar as forças que atuam sobre ela, pois o uso correto do corpo pode-lhe garantir maior aderência e estabilidade - ou seja, tudo o que você precisa.

As técnicas, obviamente, devem ser adotadas da forma ainda mais suave, nada de movimentos bruscos! Seja sensível e decidido. Pilote com fluidez...

Dicas - Pilotagem na chuva: atenção redobrada, mas sem nervosismo. Motos com ABS e pneus novos são capazes de frear no molhado com um equilíbrio impressionante.

Para ajudá-lo, veja estas informações muito úteis "debaixo d`água".

- Pneus funcionam melhor quando aquecidos, inclusive na chuva, pois garantem mais aderência e proporcionam mais segurança. Eles não chegam a se aquecer como no seco, mas depois de alguns quilômetros proporcionam maior poder de frenagem do que logo depois que você engata a primeira marcha.

- Procure acelerar e frear com a moto sempre em pé, incline menos nas curvas e retorne à vertical rapidamente.

- Frear no molhado? Use a mesma técnica para frenagem a seco. Freie de forma progressiva e suave, controlando a força aplicada nas alavancas. Utilizar um pouco mais o freio traseiro pode ajudar no controle da transferência de peso para a roda dianteira e evitar a perda de aderência da mesma por uso excessivo da força. Tudo isso tem que ser feito progressivamente, senão é lona!

- Controle o acelerador! Abrir o gás de vez vai fazer a roda escorregar e, provavelmente, você vai cair. Use o acelerador na rotação do motor, e use marchas mais longas. Não se assuste com algumas escorregadas, relaxe e controle-as.

Essas dicas são para uma condução mais esportiva, mas some a ela reduzir a velocidade, aumentar a distância em relação ao veículo que vai à frente, manter pneus em bons estado e freios idem.

Lembre-se: pneus de competição, no seco não são bons para viajar. Hoje já há pneus específicos para diferentes tipos de utilização. Um pneu atual, touring (para viajar), dura mais e não sacrifica o desempenho da sua moto.

Comentários

  1. Caro Wesley, obrigado pela visita. Seu blog também tá legal, bem informativo. Isso é importante. To seguindo. Motoabraço e tudo de bom.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FUNÇÕES DO SETOR PÚBLICO

CONCEITOS: CAPITALISMO, SOCIALISMO, COMUNISMO E ANARQUISMO

ALGUMAS QUESTÕES SOBRE SEGURANÇA PRIVADA