Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

AUDIÊNCIA PÚBLICA NO SENADO FEDERAL SOBRE RISCO DE VIDA PARA VIGILANTES DAS IFES

Imagem
O dia 12 de agosto foi marcado pela Audiência Pública na Comissão de Educação Cultura e Esporte no Senado Federal.

A audiência foi iniciada às 10 horas da manhã contando com a presença de trabalhadores vigilantes de diversas Universidades do sul ao norte do País. Aproximadamente, 170 vigilantes, vieram para Brasília, alguns com esforço próprio, para acirrar este movimento nacional, que tem por premissa o reconhecimento do papel dos trabalhadores da área de vigilância nas Universidades. Para acomodar este contingente de pessoas, foi necessário que a secretaria da CECE-Comissão de Educação do Senado Federal, disponibilizasse duas salas, para que todos os companheiros vigilantes pudessem assistir e acompanhar a audiência. Participaram da Audiência os Senadores Sérgio Zambiasi (PTB), Romeu Tuma (PTB), Paulo Paim (PT), Ifraim Morais (DEM), Cristóvam Buarque (PDT), Heráclito Fortes (DEM), Inácio Arruda (PCdoB), Renato Casa Grande (PSB) além dos Deputados Federais Paulo Pimenta (PT), Fernand…

REUNIÃO DO GT SEGURANÇA DA FASUBRA EM BRASÍLIA

Imagem
10 a 12 de agosto de 2009.

Com 25 delegações presentes (UNB (DF), UFRG (RS), UFRGS (RS), UFPEL (RS), UFSM (RS), Federal de São Carlos (SP), UNICAMPI (SP), UFES (ES), UFU (MG), UFMG (MG), UFSJ (MG), UFM (MA), UFMS (MS), UFSC (SC), UFPE (PE), UFPB (PB), UFCE (CE), UFRN (RN), UFPA (PA), UFAM (AM), UFRJ (RJ), UFG (GO), UFRRJ (RJ), UFRPE (PE), UFV (MG) e contando ainda com a participação da FASUBRA (Luizão e Léia) a reunião foi um completo sucesso. Abaixo o relato de algumas das discussões ocorridas.
Na abertura dos trabalhos pela parte da manhã foi definido o temário da reunião do GT Nacional e dados os informes das delegações presentes, totalizando 25 Universidades. Logo após, Léia, coordenadora geral da FASUBRA, explanou sobre o momento atual da Federação, o movimento dos vigilantes em todo o país e a importância de se ter conseguido o espaço para a audiência pública, ressaltou que já havia conversado com Mozarte e que seus discursos estariam afinados.Propôs que fizéssemos um manifesto pa…

HISTÓRIA: Saber militar e marxismo

Imagem
Trotsky


I – Introdução
Permitam-me declarar aberta a reunião da Associação Científica-Militar – a 518, segundo acabam de me dizer.
O tema da nossa discussão de hoje será o lugar do saber e da habilidade militares no sistema dos conhecimentos humanos em geral. Reconheço, antes de mais, que a responsabilidade da iniciativa desta discussão me cabe pessoalmente em grande parte. Não porque considere que este problema complexo, abstrato, teórico e filosófico – no melhor e no pior sentido dos termos – é o mais urgente e atual da nossa instrução militar, mas tive a impressão de que estas questões se nos impunham, a par com a evolução ideológica e com certa luta teórica nas altas esferas do nosso exército.


Numa das nossas publicações, bastante próxima da nossa Associação, li dois artigos[1], um dos quais demonstrava que a ciência militar não podia ser edificada segundo os métodos do marxismo, que era impossível utilizá-los para resolver os seus problemas particulares, uma vez que a ciência militar…