ENFIM, CHEGA NO BRASIL A SUPER TÉNÉRÉ XT1200Z

Big-trail da Yamaha surge com um maior propulsor de dois cilindros e bastante tecnologia. O preço sugerido é de R$ 59.800.

Matéria do site Webmotors
Texto: Arthur Caldeira / Infomoto
Fotos: Mario Villaescusa

(10-03-11) - Um dos lançamentos mais aguardados para este ano, a Yamaha XT1200Z Super Ténéré chega este mês às concessionárias brasileiras. O modelo, uma reedição da lendária big-trail nipônica, traz motor bicilíndrico de maior capacidade e muita tecnologia embarcada para brigar no segmento de motos big-trail.

Da antiga aventureira, Super Ténéré 750, sucesso em todo o mundo na década de 90, restou apenas o nome e a inspiração no temido deserto africano de Ténéré no centro sul do Saara. No restante, a Super Ténéré 1200 é completamente nova e moderna.


Proposta
Segundo os engenheiros da Yamaha, o desenvolvimento da nova Super Ténéré começou a partir de uma folha em branco, porém com objetivos claros: um novo motor de grande capacidade cúbica com torque à vontade; agilidade no fora de estrada e precisão em estradas sinuosas; muito conforto, e praticidade para se levar bagagem e garupa; além de tecnologia para melhorar a segurança e a versatilidade.
Trocando em miúdos, para criar a nova Super Ténéré a Yamaha decidiu seguir a receita de sucesso da líder de vendas no segmento a BMW R 1200 GS. Para isso dotou sua big-trail com qualidades para brigar de frente com o modelo alemão. Copiando inclusive muitas soluções técnicas da BMW, como transmissão final por eixo cardã, controle de tração, freios ABS e conforto de sobra.
Visualmente, porém, a nova XT1200Z não lembra a concorrente alemã. De porte avantajado, traz dois faróis na dianteira, um grande pára-brisa regulável, banco largo em dois níveis e uma grande variedade de acessórios, como malas laterais e top case em alumínio. Entretanto, a grande diferença está na motorização.

Dois cilindros paralelos

A configuração escolhida para dar vida à nova XT1200Z Super Ténéré foram dois cilindros paralelos, diferentemente do motor de cilindros opostos da BMW. A arquitetura do modelo japonês resulta em um estreito e compacto propulsor de 1.199 cm³ de capacidade, que garante torque desde as baixas rotações e potência suficiente para a categoria.


Com refrigeração líquida, duplo comando de válvulas (DOHC), alimentado por injeção eletrônica e com duas velas por cilindro, o motor entrega 110 cavalos de potência máxima a 7.250 rpm. O torque é de 11,6 kgf.m já a 6.000 giros.
Assim como em outros modelos da marca japonesa, o motociclista vai controlar o motor da Super Ténéré 1200cc por meio de um acelerador eletrônico (o tal Yamaha Chip Controlled Throttle, YCC-T), que garante respostas mais precisas ao girar a manopla.
O motor conta ainda com dois mapas de gerenciamento: Sport para uma pilotagem mais agressiva e Touring para uma tocada mais “relaxada”, com entrega de potência mais suave.
Completa ainda o pacote de soluções eletrônicas um controle de tração que evita derrapagens da roda traseira em situações de piso escorregadio e/ou baixa aderência. O módulo permite três níveis de atuação do controle de tração: o modo "TCS1" é o normal e atua em qualquer situação que for detectada uma derrapagem da roda traseira; já o "TCS2" tem efeito retardado e permite escapadas de traseira em uma pilotagem off-road mais radical; ou para os mais experientes o modo "OFF", que desliga completamente o sistema.

Mais tecnologia

Para não ficar para trás da concorrente, a nova XT1200Z traz freios ABS unificados (ABS Unified Brake System). Segundo a Yamaha, trata-se de um dos mais avançados sistema de freios já desenvolvidos pela fábrica japonesa.
O sistema ABS evita o travamento das rodas em frenagens bruscas por meio de uma válvula de pressão hidráulica que atua sobre os dois discos dianteiros (com 310 mm de diâmetro) e também no único disco traseiro – todos em forma de margarida. Além disso, há ainda os freios unificados, ou combinados, controlados por um módulo eletrônico que divide a frenagem nas pinças dianteiras e traseiras ao apertar o manete de freio dianteiro. De acordo com a marca, para calcular a proporção exata de frenagem na frente e atrás há sensores que levam em consideração a velocidade da moto, a pressão no manete e também o peso total da motocicleta.
Uma das vantagens do sistema é que durante a pilotagem fora de estrada o motociclista fica de pé e tem o acesso limitado ao pedal de freio traseiro. Outra boa novidade é que, caso o motociclista pise no freio traseiro antes de apertar o manete dianteiro, o sistema não atua. Facilitando assim manobras em baixa velocidade.


Ciclística
Como a proposta da nova Super Ténéré é ser uma aventureira para se viajar para qualquer lugar, a Yamaha apostou em uma ciclística robusta com rodas raiadas, uma grande distância do solo e uma resistente proteção do motor. Todo o projeto ciclístico foi concebido para manter o centro de gravidade baixo e centralizado para garantir equilíbrio e agilidade.
O quadro do tipo espinha dorsal foi construído em tubos de aço em vez de alumínio, pois de acordo com a Yamaha o material suporta melhor a exigência da pilotagem off-road. A suspensão dianteira conta com um garfo telescópico invertido com tubos de 43 mm de diâmetro, totalmente ajustável na compressão, retorno e pré carga. Já na traseira, um sistema monochoque com amortecedor facilmente regulável na précarga e no retorno sem a necessidade de ferramentas. A balança traseira, que traz o eixo carda da transmissão final embutido, foi construída em alumínio.

Apesar de raiadas, as rodas permitem o uso de pneus radiais sem câmara nas medidas 110/90 em aro de 19 polegadas, na dianteira; e 150/70 em um aro de 17 polegadas, na traseira.
Para completar suas capacidades fora de estrada, a nova aventureira traz um largo guidão com protetores de mão de série. As pedaleiras também foram projetadas para o uso mais radical: tem capas de borracha que garantem o conforto ao se pilotar sentado, mas quando o motociclista fica de pé para controlar a moto em estradas não pavimentadas essas capas se achatam e permitem um maior contato dos pés com as pedaleiras.
Protetores laterais do motor e o protetor de cárter também são de série, mostrando a verdadeira vocação da nova Super Ténéré: longas aventuras por quaisquer caminhos até que o grande tanque de 23 litros peça mais combustível.


Primeiras impressões
Recém-chegada ao Brasil, tivemos o primeiro contato com a XT1200Z Super Ténéré na pista de testes da Yamaha em Guarulhos, na Grande São Paulo. Apesar de não ser o local ideal para se testar uma moto com vocação e proposta tão aventureira, já foi possível notar, na prática, algumas de suas qualidades descritas pela fábrica.
A começar pela posição de pilotagem bastante ereta e o banco confortável. O motor de dois cilindros paralelos também mostrou funcionamento suave, além de oferecer torque desde as baixas rotações. Outro ponto positivo foi a facilidade para se manobrar o nova Super Ténéré, apesar dos seus 261 kg em ordem de marcha. Afinal, o centro de gravidade é baixo e o peso bem distribuído.
Chama atenção também o painel completo com mostrador digital e conta-giros de leitura analógica. Em uma pequena tela de cristal líquido há todas as informações necessárias ao motociclista: nível de combustível, hodômetros, relógio, temperatura, indicador do modo de pilotagem e também do sistema de tração. Ou seja, praticamente um computador de bordo de série.

Mas para destacar mais qualidades ou apontar defeitos, uma big-trail como esta nova Yamaha pede um teste mais longo e criterioso. O que, leitores, fãs e este jornalista que vos escreve, aguardam ansiosamente.


Preço e comercialização
A Yamaha XT1200Z Super Ténéré chega às concessionárias na segunda quinzena do mês de março. Estará disponível em apenas uma opção de cor, azul, e também em apenas uma versão, já com todo o pacote tecnológico – controle de tração, freios ABS e modos de gerenciamento do motor. Tudo isso por R$ 59.800.

Preço bastante competitivo em relação a sua principal concorrente, a BMW R1200GS que, em sua versão standard, sai por R$ 59.900, porém sem nenhuma tecnologia embarcada.

A Yamaha ainda vai disponibilizar diversos acessórios para a nova Super Ténéré. A lista vai de malas laterais, baú traseiro e bolsa de tanque, passando por protetores de farol, um protetor de motor em alumínio, até itens de conforto como aquecedores de manopla, capa de tanque e banco mais baixo.
FICHA TÉCNICA

MotorDois cilindros paralelos, DOHC, refrigeração líquida, 4 válvulas
Capacidade1.199 cm³
Diâmetro x Curso98,0 x 79,5 mm
Taxa de Compressão11,0 : 1
Potência Máxima110 cv a 7.250 rpm
Torque Máximo11,6 kgf.m a 6.000 rpm
Câmbio6 marchas
QuadroTipo espinha dorsal em tubos de aço
Transmissão FinalEixo cardã
AlimentaçãoInjeção eletrônica de combustível
Suspensão DianteiraGarfo telescópico invertido, com 190 mm de curso
Suspensão TraseiraMonoamortecida, com 190 mm de curso
Freio DianteiroDois discos em forma de margarida com 310 mm de diâmetro
Freio TraseiroDisco simples margarida de 282 mm de diâmetro
Pneu Dianteiro110/80-19
Pneu Traseiro150/70-17
Comprimento2.250 mm
Largura
980 mm
Altura1.410 mm
Altura do Assento845-870 mm
Distância entre eixos1.540 mm
Tanque de Combustível23 litros
Peso em ordem de marcha261 kg
CoresAzul
PreçoR$ 58.900

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FUNÇÕES DO SETOR PÚBLICO

CONCEITOS: CAPITALISMO, SOCIALISMO, COMUNISMO E ANARQUISMO

ALGUMAS QUESTÕES SOBRE SEGURANÇA PRIVADA