Depois de proibição de garupa em São Paulo, agora é a vez da grande Dourados brigar contra os motociclistas

Agora os motociclistas terão que pagar para estacionar as motos no centro de Dourados-MS.

A matéria é da GD NEWS

Caso seja aprovado na segunda votação que acontece nesta quinta-feira (15), o Projeto de lei que altera a lei 2.822 de 26 de dezembro de 2005, os motoqueiros terão que pagar para estacionar seus veículos na área central da cidade. De acordo com o projeto entregue aos vereadores, os espaços para estacionamento das motos serão “previamente estabelecidos, devendo ser estacionadas em vagas específicas, não estando isentas do pagamento do preço certo diferenciado”.

Durante a votação na Câmara dessa segunda-feira, os vereadores Elias Ishy (PT), Délia Razuk (PMDB) e Dirceu Longhi (PT) votaram a favor de uma emenda que suprime a exigência de pagamento de taxa para motoristas que estacionarem na região central de Dourados. Com exceção dos vereadores Juarez do Esporte (PRB), que não estava presente e do Idenor Machado (DEM), que não vota por ser presidente da câmara, o restante dos parlamentares votaram contra essa emenda.

Como justificativa para a mudança, consta no projeto que a lei 2.822 de 26 de dezembro de 2005, tem que passar por mudanças já que aumentou o fluxo de motocicletas no centro da cidade. O projeto explica que “atualmente é insuficiente o número de vagas regulamentadas, circunstâncias que tem gerado reclamações dos usuários e dos proprietários de estabelecimentos comercias, em geral. Consequentemente, faz-se necessário a ampliação dos locais destinados ao estacionamento regulamentado de veículos”.

O novo chefe do Departamento de Trânsito de Dourados, Sergio Mondadori, que substituiu o Jonecir Ferreira esta semana, informou que ainda não há estimativa de valores a serem cobrados caso a emenda não seja aprovada. Mondadori explica ainda que é necessário que seja realizado um estudo para aplicar a cobrança proporcionalmente.

Nas ruas

O entregador de água Vladimir Vera, de 37 anos, apesar de julgar necessário estacionar a moto em locais adequados, não concorda com a cobrança de taxa. “Não vejo motivo para cobrar para estacionar a moto, não ocupa tanto espaço”, completa.

Já Adriana Campos de Almeida, de 25 anos, concorda com a mudança e complementa sua opinião dizendo que se “cobram dos carros deve ser cobrado o mesmo das motos”. Ela acredita que assim haverá maior rotatividade dos veículos. A estudante contou que teve que andar por vários minutos nos arredores da Praça Antônio João para conseguir um lugar para estacionar sua moto na rua Joaquim Teixeira Alves.

Rodoviária

Outra mudança deve ocorrer no estacionamento da rodoviária municipal, onde também deve ser instalados parquímetros. O projeto de lei aponta que o espaço destinado ao embarque e desembarque de passageiros, é usado como estacionamento por alguns frequentadores do Shopping Center e outros estabelecimentos comerciais próximos. Estes veículos acabam atrapalhando o fluxo rotativo do local.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FUNÇÕES DO SETOR PÚBLICO

CONCEITOS: CAPITALISMO, SOCIALISMO, COMUNISMO E ANARQUISMO

ALGUMAS QUESTÕES SOBRE SEGURANÇA PRIVADA