INTRODUÇÃO ÀS REDES DE TELECOMUNICAÇÃO

Informação e Comunicação

Ø       INFORMAÇÃO
É a medida da redução da incerteza, sobre um determinado estado de coisas, por intermédio de uma mensagem.

Ø       CODIFICAÇÃO
A Codificação é o tratamento que se dá para que a informação possa ser colocada na forma de mensagem, ou seja, uma forma organizada de sinais e símbolos previamente definidos através dos quais outros tratamentos da informação podem ser efetuados.

Ø       TRANSMISSÃO 
A Transmissão é o tratamento que se dá para que a informação possa ser transportada entre o emitente e o destinatário, formando desta maneira um sistema simples de comunicação. A transmissão necessita que a informação esteja codificada conforme o meio de transmissão a ser utilizado.

Ø       COMUTAÇÃO OU ROTEAMENTO
Comutação ou roteamento é o tratamento que se dá para que a informação possa ser encaminhada entre múltiplas origens e múltiplos destinos. Esse tratamento é aquele que permite que um mesmo meio de transmissão possa ser utilizado para múltiplos pares de origem-destino de comunicação, aumentando a eficiência de utilização do meio.

Ø       ARMAZENAMENTO OU RECUPERAÇÃO
É o tratamento que se dá para que a informação possa ser guardada para posterior recuperação. Existem inúmeras formas de armazenamento: mecânico, magnético, óptico, digital, químico, etc.

Ø       PROCESSAMENTO
É o tratamento que se dá para que as informações passem por operações lógicas com o fim de produzir ações ou novas informações.
Ex.: Automação; Processamento de imagens; Injeção eletrônica nos automóveis; Processamento de ligações nas centrais telefônicas...

Requisitos Fundamentais de uma Infra-estrutura para o tratamento da informação

Ø       ABRANGÊNCIA (UBIQÜIDADE)
É a capacidade dos serviços estarem ao mesmo tempo em qualquer lugar. A infra-estrutura de telecomunicações deve ter como requisito permitir que os serviços e aplicações estejam presentes o mais próximo dos usuários, em qualquer lugar e a qualquer momento.

Ø       ACESSIBILIDADE
É a capacidade para comunicação global. Qualquer usuário pode acessar outro usuário qualquer sendo que restrições de acesso possam ser controladas, em função das necessidades dos próprios usuários e não por restrições da infra-estrutura.

Ø       DISPONIBILIDADE
Garantia de elevada taxa de tempo de fornecimento do serviço. Os serviços de telecomunicação devem estar à disposição dos usuários por uma elevada taxa de tempo.

Ø       GRAU DE SERVIÇO
É a eficiência de se estabelecer ligações. As ligações devem ter uma elevada probabilidade de que possam ser completadas, uma vez que, por razões econômicas, muitos meios podem ser compartilhados por muitos usuários, podendo existir bloqueios por congestionamentos ou devido ao outro usuário destino estar utilizando seu terminal.

Ø       INTELIGIBILIDADE
É a mensagem bem recebida pelo destinatário. Os sinais transportadores das informações devem minimizar erros e distorções de transmissão, ou qualquer outro fator que prejudique a sua compreensão.

Ø       OPERACIONALIDADE 
É a facilidade do uso dos serviços, tanto para o usuário final como também “amigável” para os operadores das empresas concessionárias dos serviços.

Ø       PORTABILIDADE
Capacidade de funcionar em qualquer ponto da rede.

Ø       ECONOMICIDADE
É a estrutura técnica e operacional eficiente, de modo a oferecer serviços e preços a cada vez mais acessíveis aos usuários que utilizam e rentabilidade para as empresas operadoras.

Ø       INTEROPERABILIDADE
Universalidade de acesso em diversas redes.
A infra-estrutura de telecomunicações deve permitir que um equipamento terminal transdutor (telefone, fax, etc.) conectado a uma dada rede pública, comunique-se com outro equipamento terminal transdutor conectado a outra rede pública.

Estruturas de Rede

Modelos estruturais de rede: são baseados no arranjo NÓS e ARCOS. As combinações são infinitas. Pode-se, no entanto, considerar apenas alguns arranjos básicos com suas características representativas auxiliando assim, a formação de redes complexas. Os arranjos fundamentais dos modelos estruturais de rede são: malha, estrela, anel e barramento.

A topologia de rede de telecomunicação é a estrutura física de interconexão das várias estações. A topologia reflete a localização geográfica, topologia física, bem como o fluxo de informações entre as estações topologia lógica. As topologias física e lógica não são necessariamente as mesmas, podemos ter uma rede com topologia física em estrela e topologia lógica em anel.

Ø       MALHA
Estrutura básica caracterizada pela interligação de todos os nós aos outros nós, através de arcos. É uma estrutura com boa aplicação prática quando o número de nós não é elevado.

Ø       ESTRELA
Estrutura básica caracterizada pela interligação de todos os nós, através de arcos, a um só nó central. É nesse nó que ficam concentrados todos os “botões” dos telefones, permitindo a interligação de todos os telefones associados.

Ø       ANEL
É caracterizada pela interligação de nós e arcos em seqüência, fechando em si na forma de anel. A estrutura em anel tem a desvantagem da sua pequena flexibilidade para acrescentar mais um nó à rede, pelas alterações de interligações que precisam ser feitas.

Ø       BARRAMENTO
É caracterizada pela interligação de todos os nós a um único barramento central. Os nós ligados ao arco central operam como portas, que abrem e fecham em função de regras ou chaves, permitindo ou não o acesso ao barramento.

Ø       FORMAÇÃO DE ESTRUTURAS DE REDE COMPLEXAS
É caracterizada pela combinação das estruturas básicas de rede. Associa as vantagens de cada estrutura de rede (anel, estrela, barramento, etc..).

Tecnologia

Cada vez mais as tecnologias estão se integrando e, a integração das tecnologias de automação (Robótica), informação (informática) e de telecomunicações têm trazidos ganhos sinergéticos enormes para a sociedade através de uma quantidade crescente de aplicações, como por exemplo a automação comercial e bancária.

Ø       TECNOLOGIA DA AUTOMAÇÃO
Tecnologia que trata de sistemas automáticos pelos quais os mecanismos controlam seu próprio funcionamento.

Ø       TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Tecnologia que visa o tratamento da informação através do uso de equipamentos e procedimentos da área de processamento de dados.

Ø       TECNOLOGIA DA TELECOMUNICAÇÃO
Tecnologia que visa o processo de comunicação a longa distância.
o       DIGITALIZAÇÃO: processo de utilização de sistemas de transmissão e comutação concebidos com a mesma tecnologia da eletrônica digital.
o       OPTICALIZAÇÃO: processo de utilização de sistemas de transmissão e comutação concebidos com a mesma tecnologia óptica.

Ø       INTEGRAÇÃO DAS TRÊS TECNOLOGIAS
É a integração das tecnologias de automação, de informação e de telecomunicação produzindo sistemas complexos de produção e comunicação.

Componentes Fundamentais de uma rede de telecomunicações

São partes constituintes de uma rede de telecomunicação e permitem o tratamento da comunicação a distância. Os componentes são classificados em famílias: equipamentos transdutores; equipamentos do ambiente do usuário; equipamentos e meios de transmissão; centrais de comutação e família das plataformas inteligentes.

Ø FAMÍLIAS DOS EQUIPAMENTOS TRANSDUTORES (EQUIPAMENTOS DO AMBIENTE DO USUÁRIO)
Equipamentos responsáveis pela codificação dos sinais das ligações de telecomunicações.
Ex.: telefone; terminal multimídia (computador); alarme residencial, etc.

Ø       FAMÍLIAS DOS EQUIPAMENTOS E MEIOS DE TRANSMISSÃO
Equipamentos e meios responsáveis pelo transporte dos sinais de telecomunicações.
o       MEIOS DE TRANSMISSÃO: são aqueles possíveis à propagação de sinais elétricos ou de ondas eletromagnéticas. Os meios podem ser de dois tipos: radioelétricos (usam o espaço livre para a propagação das ondas eletromagnéticas) ou por cabos (usam os materiais condutores de eletricidade ou de ondas eletromagnéticas para a propagação dos sinais).
o       EQUIPAMENTOS DE TERMINAÇÃO: equipamentos acopladores de multiplex aos meios de transmissão.
o       MULTIPLEX: equipamentos que dividem a banda passante em canais de banda mais estreita úteis para o transporte de informações, ou seja, permitem que um mesmo meio possa conter um grande número de canais específicos para cada uso. Ex.: telefonia, telex, comunicação de dados, etc.

Ø FAMÍLIA DAS CENTRAIS DE COMUTAÇÃO: CENTRAIS LOCAIS E CENTRAIS DE TRÂNSITO
São os equipamentos das estações responsáveis pela comutação das ligações de telecomunicações.
            Do ponto de vista funcional, a central de comutação é subdividida em dois blocos:
A)REDE DE CONEXÃO;
B)CONTROLE.
            Do ponto de vista da estrutura de rede, as centrais são classificadas em centrais locais e centrais de trânsito:
CENTRAL LOCAL: é aquela que possui assinantes interligados a ela e permite a comutação entre seus assinantes e outras centrais.
CENTRAL DE TRÂNSITO: é aquela que interliga quaisquer centrais entre si, quer sejam local ou de trânsito.

Ø       FAMÍLIA DAS PLATAFORMAS INTELIGENTES
Equipamentos responsáveis por criar habilidades avançadas para os serviços de telecomunicações através de processamento e armazenamento de dados.

Ø       INTEGRAÇÃO DAS QUATRO FAMÍLIAS
Estrutura organizada de componentes para a oferta de serviços de telecomunicações.
o       FORMAÇÃO DE REDE URBANA: um atendimento telefônico inicial de um cidade se dá através de uma central local com os aparelhos telefônicos interligados a ela com pares de fios.a área atendida por essa estrutura de rede estrela básica recebe o nome de Área de Estação. Os aparelhos telefônicos são os terminais de usuários que convertem os sinais de voz em sinais elétricos, que são transmitidos por pares de fios denominados por Linhas de Assinantes. A central telefônica localiza-se no “baricentro de fios” da área abrangida pelo atendimento.
o       FORMAÇÃO DE REDE INTERURBANA: outras cidades com suas áreas de Estação podem ser agrupadas em torno das centrais de trânsito interurbanas, estabelecendo-se Áreas de Grupamento Interurbanas. Várias áreas de grupamento interurbanas com suas centrais de trânsito, podem ser novamente agrupadas em torno de centrais de trânsito interurbano de um nível hierárquico superior, com novas áreas de Grupamento e assim sucessivamente até o atendimento de um país. O processo de abrangência da rede (ubiqüidade) pode ser estendido a outros países através das redes internacionais.

Ø       RAZÕES ECONÔMICAS DA ORGANIZAÇÃO
O estabelecimento de uma rede para uma aplicação específica tem um requisito importante que é o seu custo. Em uma primeira aproximação, o custo total de uma rede pode ser subdividido em Custo de Interligação e Custo do Nó. A análise desses Custos em função da dimensão da rede, mostra que a escolha de números de nós e suas interligações são uma função otimizante de custos.

Estrutura dual de serviços versus rede

A estrutura dual de serviços versus rede é uma forma sistêmica de representar os serviços de telecomunicações associados a uma estrutura em camadas de componentes de uma rede.

Ø       MODELO BÁSICO
Modelo linear envolvendo o ambiente do usuário, o ambiente da estação e as interligações entre os ambientes.
o       Ambiente do Cliente: é o local onde estão instalados os equipamentos terminais do cliente e suas interfaces com a rede pública.
o       Estações de telecomunicações: é o local onde estão instalados os equipamentos de comutação, transmissão, energia e para onde convergem as linhas de assinante e os circuitos troncos.

Ø       MODELO DAS QUATRO CAMADAS
É o modelo de oferta de serviços de telecomunicações estruturando os componentes de uma rede em camadas.

O objetivo do modelo das Quatro Camadas é fornecer um modo estruturado de prestação de serviços, desde o mais simples, como é o caso de uma linha privativa ligando dois pontos da rede, até o mais complexo como aplicação de Teleeducação e Telemedicina.
1ª CAMADA: Rede de Transmissão e Infraestrutura;
2ª CAMADA: Rede de Suporte de Serviços;
3ª CAMADA: Rede de Serviços Avançados;
4ª CAMADA: Aplicações.

Ø       LISTA DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES
Os serviços de telecomunicações estão classificados por sua natureza em telefônicos, comunicação de dados e de banda larga.
Serviços de telecomunicações
Os serviços podem ser classificados de muitas formas. Será adotada aqui a classificação em três famílias: Serviços telefônicos, Serviços de comunicação de dados e Serviços de banda larga.
o       SERVIÇOS TELEFÔNICOS: Serviços oferecidos para a comunicação de voz. Podem ser fixos, móveis e armazenados, e incluem todo o tratamento que se pode dar ao estabelecimento das ligações. Estão incluídos nessa família os serviços de fax que utilizam todo o suporte para os serviços telefônicos.
o       SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO DE DADOS: São serviços oferecidos para a comunicação de “não voz” ainda que algumas aplicações tratam de comunicação de voz como na internet e redes locais. Estão incluídas nessa família todas as comunicações entre equipamentos Terminais e processadores de dados.
o       SERVIÇOS DE BANDA LARGA: São serviços oferecidos para a comunicação multimídia envolvendo imagem, dados, texto e a voz de estrutura integrada ou não.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FUNÇÕES DO SETOR PÚBLICO

CONCEITOS: CAPITALISMO, SOCIALISMO, COMUNISMO E ANARQUISMO

ALGUMAS QUESTÕES SOBRE SEGURANÇA PRIVADA